28 de fevereiro de 2017


Eu tenho quase 30 anos e me sinto a pessoa mais solitária do mundo
Eu me sinto solitária como num daqueles filmes de criogenia em que acordaram um espécime humano muitos anos e tecnologias depois, e agora estou perdida e não me encaixo mais nesta atual realidade que estou vivendo.
Eu sou sozinha por que vi meus amigos partirem, e eu só tive coragem para ficar enraizada no mesmo lugar.. eles tiveram filhos, casaram, mudaram de país, de cidade, e viramos contatos de telefone que se discam apenas em datas comemorativas.. mas eu não me sinto sozinha por isso, por que isso acontece, a gente cresce, pessoas mudam, pessoas se vão....
Eu sou sozinha por que quando eles partiram, eu já não sabia mais fazer amigos... quando eu os conheci, eles me pararam na rua, me abordaram no meio daquele show, marcamos de ver um filme, sentamos na calçada e bebemos, fomos tirar aquelas fotos no parque, e eu sentei pra almoçar com os pais de cada um deles, e as vezes os levei até em casa no meio da noite pra não ficarem sozinhos no escuro
Eu sou sozinha por que quando o tempo mudou, eu não mudei junto... eu pisquei e quando dei por mim tínhamos celulares de tela colorida, internet liberada 24 horas, milhares de fotos para ver e não sentir mais saudades de ninguém ou se perguntar como e onde aquela pessoa está, milhares de planos prontos feitos por você, para que só tenha que apertar o botão "aceitar"...
Foi nessa revolução que a minha alma antiga ficou pra trás.
Eu tentei acompanhar aos poucos, comprei um celular que faz tudo menos receber ligação, mesmo tendo esta opção (as pessoas que já não a usam), me cobraram mais, me cobraram muitos aplicativos: messenger, instagram, snapchat, twitter, lookbook, blog, canal no youtube. me cobraram tudo menos contato físico, e hoje em dia onde estão meus novos amigos? Rostos desconhecidos que não estão comigo durante o dia, mas que aparecem ao meu lado em fotos bonitas em alguma rede social, é como se só durasse a base de alcool e neon, mas no dia seguinte a bebida acaba, o neon apaga.



Eu fiquei pra trás por que eu não consigo acompanhar uma timeline, eu quero dançar com um bambolê no parque as dez da manhã, eu quero sentar na praça pra jogar jogo de tabuleiro as duas da tarde, eu quero ir bater perna com pessoas reais para ver aquela exposição de grátis, eu quero voltar a me divertir tendo só o dinheiro da condução, amigos e força de vontade...
Eu me sinto horrivel em meio aos círculos anti sociais da internet, onde as pessoas querem ser seu amigo se você responde rápido, se posta fotos bonitas, se está 24 horas conectado...
A internet pode ter aproximado quem está longe, mas afastou em muito quem está perto... aquele mundo frágil de aparências



Eu sinto falta dos meus amigos, e eu sou cabeça aberta para novos, mas eu não quero números da internet, papo no whatsapp, foto no instagram, aquele lendário "vamos marcar um dia"
Eu quero alguem que diga "Quero te ver, que tal irmos dar uma volta?", quero aquelas amizades que a gente veste roupas uma da outra, que conta segredos, que senta no chão pra esperar metrô abrir, que vai assistir apresentação de trabalho da faculdade, que vai na livraria, que pinta o cabelo uma da outra, ajuda a tirar foto, dá opnião na montação, a cúmplice pra conquistar o boy que você não tem coragem, que viaja junto, que junta moeda pra dividir a coxinha, que é quase uma gangue...
Sinto falta disso todos os dias, e vou ficando mais isolada conforme as amizades vão se estreitando a : "me passa seu whatsapp para marcarmos algo algum dia"
Afinal, meus melhores amigos são da época que trocavamos carta, não tinhamos internet, cameras digitais, e telefone tinha uma conta carissima, usavamos só pra dizer: "tal dia vamos nos ver"
Isso me deixa tão nostalgica, como se eu fosse permanecer assim sozinha para sempre, como se eu tivesse numa época que não é a minha, e tivesse que enfrenta-la apenas por mim mesmo. Eu grito: "Você quer ser meu amigo" e vejo os rostos baixados para um celular, um desktop... e eu continuo, e continuo tentando;;;
Quanto mais perderemos de nós pra solidão, sendo esta vida apenas uma?



Round here we're carving out our names
Round here we all look the same
Round here we talk just like lions
But we sacrifice like lambs
Round here she's slipping through my hands



Image and video hosting by TinyPic

5 comentários:

  1. Sinto empatia por suas palavras,pois me sinto assim muitíssimas vezes!Sou uma negação para me comunicar pela internet,só consigo com aqueles amigos que conheço na vida real...E mesmo aquele que mora longe (diga-se muito longe),consigo sentir a sintonia do que muita gente que me elogia a rodo. Quando decidi deixar meu Facebook com apenas o número de pessoas nas quais eu convivia ou tinha apreço/admiração (44 no total) me senti mais leve,fiquei mais próxima de velhos amigos mesmo que a vida e a distância física tenha mudado nossas rotinas,parece que o tempo não mudou o relacionamento.Por mais velhos que estamos,ainda rimos juntos e do mesmo jeito...Outro dia numa conversa por telefone minha amiga e eu nos questionamos porque ninguém mais conversa,porque as pessoas não saem para fazer algo simples ...Aqui a cidade é grande,mas mesmo saindo meu marido e eu nos sentimos sozinhos,estranhos no meio do bar e pensamos: "Será que somos estranhos por curtir a noite sem fazer selfie o tempo todo?"-quando a gente posta o que quer,mostra a vida como é a gente percebe quem gosta da gente e quem só quer o nosso status!E sabe,quando te conheci pessoalmente foi a coisa mais legal desse mundo,mas não sei como fazer pra me comunicar virtualmente e me sinto estranha fazendo isso...porque ainda sinto vontade de te ver,de rir igual aquele dia das nossas desgraças...sentar no meio fio,algo que eu gosto de fazer quando estou com as pernas cansadas!

    ResponderExcluir
  2. Bonitas palavras, Akasha!
    Sabe, me identifiquei muito com seu texto... Eu morava em SP, mas há quatro anos mudei de estado... A única amiga que eu tinha, simplesmente me abandonou porque tem outra amiga que mora pertinho dela. Ainda assim, quando ela namorava e eu morava perto, ela simplesmente deixou de falar comigo por causa do namorado dela.
    Hoje, não acredito mais que eu tenha amigos... Eu simplesmente não consigo fazer amigos! Porque gosto de fazer coisas diferentes, não tenho paciência pra ficar na internet.
    Outra coisa... Eu tentei fazer amizade com você certa vez, mas não sei... Sempre pensei que você, tão linda, inteligente e estilosa, nunca fosse querer amizade com uma "gordinha feia". Até porque, sempre imaginei que você pudesse ter amigos de sobra...

    ResponderExcluir
  3. Akasha, você não me conhece, mas eu te acompanho (seus textos e posts) há mais de cinco anos, e entendo muita coisa que você quer dizer. Até hoje não me conformo com você ter parado seu canal no youtube. Eu acho que seria ótimo termos uma YouTuber como você. Beijão

    ResponderExcluir
  4. Akasha, você escreveu aquilo que eu sinto nos últimos anos e o pior e que eu to do outro lado dos seus amigos... Eu sou aquele amigo ruim de marcar de sair, aquele que enrola, enrola e enrola pra encontrar. Mas como você sinto saudade dos roles de madrugada onde tinha a grana certa pra noite toda e como durava. De ter que ficar com a galera esperando ate as 6 da manha que e mando um busão volta a passar. Muito obrigado ela nostalgia. Voltarei mais vezes.

    ResponderExcluir
  5. Infelizmente as pessoas que mais defendem essa ideia são aquelas que vão abandonar gente como a gente, que dizem que procuram por isso, mas que vão nos dispensar por preguiça ou por orgulho de corresponder todos esses sentimentos de companheirismo e cumplicidade.

    ResponderExcluir

Em buscas de respostas? Eu também. Mas para que possamos descobrir elas juntos deixe seu comentario e até mesmo a sugestão de um tema a ser discutido aqui em nosso blog.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Bem vindos!

akasha

akasha

::Akasha Lincourt::

Akasha Lincourt... Taurina, Bipolar, 27 anos, sem enquadramento social, mas com ótimas lentes 50mm distorcidas ao invés de olhos. Apaixonada pela vida, pela arte, pela moda alternativa e pela estrada...

"VIVA RÁPIDO. MORRA JOVEM. SEJA SELVAGEM. E SE DIVIRTA!

Eu acredito no país que a América costumava ser. Acredito na pessoa que quero me tornar, acredito na liberdade da Estrada aberta. E meu lema é o mesmo de sempre. "Acredito na gentileza de estranhos. E quando estou em guerra comigo mesma – dirijo. Apenas dirijo."

Quem é você? Você está em contato com todas as suas fantasias mais sombrias? Você criou uma vida para si mesma onde é livre para experimentá-la?

Eu criei. Sou maluca pra caramba. Mas sou livre"

Email: Akasha_lincourt@hotmail.com

mood

mood

Arquivo

Arquivo

Bloglovin

Follow on Bloglovin
Todos os direitos reservados as autoras - Proibido a reprodução de texto e imagem. Tecnologia do Blogger.

Seguidores

Arquivo

instagram

instagram

Instagram

Hey! Did you know that our users have generated 237 widgets within the

Linke

Linke

Link-me em seu blog / site:


contato

contato

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

lojas

lojas

Parceiros

Parceiros
Parceiros

conheça o inflamous

Face

Face

Minha página