17 de agosto de 2016

Essa semana eu  assisti um filme aleatório no netflix, chamado "Match point - ponto final", o filme está longe de ser bom, mas tem uma coisa que prendeu toda a minha atenção.. A TRILHA SONORA.
A trilha sonora desse filme é composta por grandes óperas, incluindo a minha favorita de todos os tempos, que já foi gravada em vários idiomas diferentes, dos quias escolhi o francês e o italiano para mostrar para vocês:



Aconte que por toda a minha vida eu me deparei acidentalmete com essa música, e todas as vezes que a ouvi, ela mexeu comigo de uma forma surpreendente. É como se ela tivesse, em algum momento de um passado muito distante, feito parte da minha vida, é uma música com memórias e sensaçõies, que traz uma nostalgia triste, como se eu sentisse cheiros, como se eu sentisse o tato e tivesse saudades de dias que vivi a séculos atrás, em um país que não é esse, com pessoas que já não estão aqui.,...
Anos e anos se passaram e mais uma vez essa música me atingiu novamente, e eu passei o dia todo a ouvindo, com aquele aperto no peito, aquela nostalgia sufocante.Eu sempre associei este fato ao fato da família do meu avô ter vindo da itália, para se estabelecer no Brasil, meus parentes contam que meu bisavó queria se tornar padre, seguiu os estudos para este fim, mas a família interviu junto ao veticano para que ele não chegasse ao fim, afinal ele era filho único e a familia queria que proiduzisse herdeiros, desiludido meu bizavô rebelou-se e deicidu deixar a familia para trás, mudando-se para o Brasil onde ficou até sua morte.
Eu nunca fui uma entendedora de ópera, não conheço um amigo que  tenha me dito que goste de ópera, ou que tenha me sugerido alguma canção, mas vire e mexe estas canções chegam até a mim e me deixam catatônica, como se lembra-se da minha vida passada. Eu expliquei como eu me sentia em relação a essa música e a opera para um amigo que é bem epsiritualizado, e ele me disse que sõ sinais de lembrança de vida passada, e como eu sou uma pessoa realmente curiosa, decidi pesquisar isso mais a fundo:

Vários itens sutis podem dar pistas de nossas vidas passadas. O autopesquisador atento pode se beneficiar de várias análises íntimas a fim de direcionar seus esforços e ligações com o passado. Importante ressaltar logo no início que nada substitui o fenômeno da retrocognição (rememoração de vidas passadas) pura e direta. Os indícios listados neste texto ainda são básicos e primários para desnudar nossa existência multimilenar. Sem a retrocognição pessoal as conclusões deste texto serão apenas superficiais, mas podem ser tratadas como um primeiro passo.


18 Sinais de que você pode ter vivido em vidas passadas: 


1. Medos e traumas. A existência de certos medos, fobias e traumas que não têm nenhuma razão aparente e sem nenhuma origem na infância ou em outro período da vida atual. Pavor de água pode indicar morte ou tortura por afogamento em alguma situação não superada. É importante frisar que esses medos ocorrem em função de experiências emocionais traumáticas (forte intensidade). O objetivo de recordar ou buscar tratamento não é mudar o passado, mas ressignificar as ocorrências.

2. Cicatrizes e marcas de nascença. Em alguns casos é possível que certa marca de nascença tenha relação com o passado justamente por imprimir no corpo atual algum evento marcante. Entretanto, tal ocorrência tende a ser negativa por justamente mostrar que o período entre as vidas (na dimensão extrafísica) provavelmente foi conturbado. Nesse tema existem diversos relatos, por exemplo, de cicatrizes relacionadas com a última morte física. Ao que tudo indica isso não ocorre mais com seres muito evoluídos e nem com a maioria da população. Do contrário nasceríamos todos muito cicatrizados.

3. Sonhos recorrentes e projeções semiconscientes. Outro fator indicativo são justamente os sonhos recorrentes (ou que se repetem) podendo expressar situações, emoções ou traumas pretéritos. Fique atento aos contextos e situações para distinguir com critério se os sonhos pesadelares têm mesmo alguma fração de memória. Algumas projeções semiconscientes, com baixa lucidez, trazem certas inclinações pessoais relativas a lugares, profissões e grupos de pessoas do passado. Você possui algum sonho recorrente?

4. Afinidade ou rejeição de uma cultura. Um modo simples é checar suas reações emocionais quanto às outras culturas globais. Porque detestar comida italiana ou adorar o idioma espanhol? Avalie a sensação pessoal, por exemplo, de diversas músicas e o padrão causado: é positivo ou negativo no seu caso? Uma série de detalhes, quando somados ou muito evidentes, pode trazer boas pistas.

5. Fenômeno do Déjà-vu. A sensação de déjà-vu ou já ter visto é um dos fenômenos do dejaísmo. Nessa situação, você consegue saber ou conhecer um ambiente mesmo sem nunca ter estado nele anteriormente. Essa ocorrência é muito comum e forte em viagens para locais onde você não esteve nesta vida, mas onde, supostamente, já viveu ou passou em outras vidas. Ao entrar em um ambiente e sentir as energias do passado, o indivíduo pode saber o que existia ali e até detalhes desconhecidos por outros que podem ser comprovados posteriormente. Algum lugar já te marcou muito?

6. Seus comportamentos e hábitos pessoais. O temperamento pessoal, ao que tudo indica, demora mais para mudanças drásticas com o passar das vidas. Dessa forma, é possível um tipo de análise onde seus comportamentos trazem ranços de um passado não muito distante. Ou seja, uma pessoa que manifesta o autoritarismo pode ter tido muito poder, alguém que sente solidão pode ter estado muitos anos na prisão, dificuldades sexuais vindas de vida celibatária, postura de submissão ligada a antiga escravidão e assim por diante. Analise seu caso com discernimento, pois uma das doenças modernas é a solidão e provavelmente nem todos foram prisioneiros.

7. Relações afetivas. Outro ponto sutil, mas significativo, são as suas relações afetivas e como se sente em relação aos outros. Você já sentiu afinidade imediata por alguém ou mesmo rejeição instantânea em relação a alguém? Esse tipo de ocorrência provavelmente mostra nossas relações passadas e nosso histórico com aquele indivíduo. Importante é não confundir com a leitura energética onde um ser é capaz de sentir, por exemplo, que alguém não é confiável. As pessoas com quem você tem mais entrosamento são de onde? Podem ser todas da mesma época?

8. Acúmulo de sincronicidades. Ao estudarem seu passado ou sua personalidade, por exemplo, algumas pessoas afobadas ou iniciantes em pesquisas podem se impressionar facilmente com algumas sincronicidades e tirar conclusões precipitadas. As sincronicidades são fontes importantes de informação e podem trazer conhecimento de diversas naturezas. Entretanto, é preciso ter bom senso e parcimônia para não usar as sincronicidades como prova, pois a comprovação ocorre apenas com a vivência direta. As sincronicidades já explicitaram alguma questão do seu passado?

9. Talentos e habilidades inatas. Um ponto subjetivo que pode revelar um pouco de nosso passado são justamente os talentos ou habilidades inatas. Partindo do princípio de que nossas qualidades são resultado de longo esforço evolutivo ter boa capacidade intelectual, por exemplo, pode revelar um passado de estudo e grande dedicação mental. Entenda que nada é de graça e nosso desenvolvimento é fruto de árduo trabalho. Portanto, quais as suas habilidades acima da média que podem indicar certa ocupação antiga?

10. Processos intuitivos pessoais. Um ponto importante e banalizado pela maioria é justamente o que dizem seus processos intuitivos. Mesmo sem informação, o que sua intuição aponta? Obviamente, apenas a intuição não é o suficiente (não é à toa que tantos já se declararam sendo Napoleão Bonaparte, por exemplo), mas é um caminho que não deve ser totalmente excluído. Se intuitivamente você sente uma conexão com a França ou com indígenas vale a pena investigar mais a fundo suas ligações. Até que ponto certas respostas já estão prontas em você?

11. Tipo de comida preferida. Esse é um item delicado de se avaliar, pois recebe influência da família, da mídia e assim por diante. O sushi, por exemplo, está atualmente na moda e isto não significa que todos que dele gostam foram japoneses (até porque antigamente não havia sushi de cream cheese com tomate seco). Entretanto, certos odores, aromas, cheiros e gostos de outras culturas podem indicar certa inclinação quanto ao passado. De modo semelhante também é interessante avaliar alguma aversão alimentar quando ela não tem razão específica. Por que detestar, por exemplo, comida árabe?

12. Gostos e tendências da infância. O estágio infantil pode expressar o passado justamente pela criança ser menos condicionada e apresentar certos gostos e posturas inatas. Obviamente, devem ser descontadas certas fases naturais do desenvolvimento que todos passam na juventude, mas certas peculiaridades ou idiossincrasias podem ser reveladoras. Na sua infância você queria ser cientista, artista, militar ou tinha outra predisposição?

13. Exaltação emocional em filmes e livros. Com pouco esforço você pode avaliar quais tipos de filmes e cenas reverberaram intensamente no seu íntimo. Ao ver uma cena de tortura, por exemplo, você passa mal e tem uma reação emocional exagerada? Essas questões são importantes, mas devem ser analisadas com cautela. Normalmente todos se sentem mal com cenas pesadas e extremas, mas, no seu caso, tem algo que incomoda mais do que o normal? Seria resquício de algum trauma? Cabe lembrar que o oposto também vale: a felicidade ao se deparar com certos temas e contextos.

14. Seu próprio nome. O próprio nome, na minoria dos casos, tem relação com algum ponto do seu passado. Naturalmente que seu pai, mãe ou quem escolheu o nome precisa ter algum nível de sensibilidade, intuição ou ter tido forte insight sobre como nomear alguém. Essa análise merece cautela, pois, por exemplo, se você viveu anteriormente na Bulgária com o nome de Mikhailov é pouco provável que tenha relação com a atualidade. Entretanto, existe a possibilidade do nome remeter a algum local ou energia histórica específica que faz parte da sua ficha multissecular.

15. Estilo de roupa e arquitetura. Certas roupas, casas e diferenças culturais podem trazer sentimentos diversos. Alguém menos preconceituoso ou xenofóbico pode sentir-se em casa com roupas coloridas da Índia ou desconfortável com túnicas gregas. Existe algum tipo de roupa que sempre gostou de usar? A qual modelo tem aversão? Analise também se existe algum tipo de casa ou construção que chama a sua atenção independentemente do seu valor financeiro.

16. Ideais pelos quais tem paixão. Todas as suas ações podem refletir algum processo seja pela enorme afinidade ou por forte antagonismo. Exemplificando: é bem possível que alguém que defenda a paz ter vivido alguma guerra sangrenta ou quem foi sabotado por governantes ter desconfiança de políticos. Nesse sentido os assuntos em que você é um entusiasta talvez venham de longa data e podem se refletir em vários processos pessoais. Essa “paixão” pode ser tanto positiva quanto negativa na vida atual.

17. Ligação com períodos ou eventos históricos. Uma análise pessoal simples é definir com quais épocas e períodos você sente mais afinidade, ainda que possa parecer mera fantasia ou devaneio. Uma pessoa que foi morta e torturada na época da inquisição, por exemplo, pode ter aversão ou uma sensação ruim em relação a esse período sem mesmo ter rememoração ou entender suas emoções. Naturalmente, se deve atenuar quando uma pessoa sofre forte influência desde pequeno como ocorrem em processos religiosos. De que época você gosta? Você sente-se atraído por eventos doentios como guerras e desastres?

18. Os pais e sua família atual. Um ponto relevante e pouco falado é a observação da própria família e seus integrantes. Mesmo a evolução sendo uma questão individual, seu processo íntimo o liga a sua família em algum ponto comum ou então de acordo com cada integrante. Partindo do princípio de que ninguém é colocado junto de alguém de modo casual, você já deve ter encontrado e tido relações diversas e nas mais diferentes situações com seus familiares.

Reforçando: ao somar todos os itens listados você pode tirar importantes informações, contudo superficiais e não conclusivas, pois somente com fenômenos diretos é possível a autocomprovação. Existe uma regra básica que diz que são necessárias, em média, 10 pequenas recordações para 1 confirmação de vidas passadas ou então uma experiência retrocognitiva avassaladora que não deixe dúvidas. Fora isso, trate todos os seus achados como hipóteses. Como se observa, apesar de alguns dos sintomas acima mencionados podem ter explicações médicas, psicológicas ou sociais, há muita evidência para sugerir que poderia estar relacionado com reencarnação e vidas passadas.


É possivel descobrir quem você foi na vida passada?


A resposta é "sim", por meio da terapia de regressão de vidas passadas. É importante entender o que é reencarnação, difundida no budismo e no espiritismo, e que está associada à lei da causa e efeito, o chamado karma, que significa "ação". Também não podemos esquecer que o homem tem o livre-arbítrio, ou seja, ele é responsável por todas as suas ações. Através da crença na reencarnação, que está presente nos Vedas e é reforçada nos Upanixades , é possível entender o código da vida cotidiana que encoraja a boa conduta (já que a bondade é recompensada) e evitar a má conduta, que reserva numa vida posterior o cumprimento do karma para a evolução espiritual.

Existe uma crença de que as marcas de nascença estão associadas aos ferimentos mortais em vidas anteriores. Certas doenças físicas ou psicológicas podem ter origem em uma encarnação anterior à atual, e tais enfermidades apresentam grande dificuldade de cura até se deparar, através da regressão, com o motivo do sofrimento.

Nem sempre a doença é uma simples repressão de alguma dor emocional numa vida anterior. Pode ser a necessidade do "Eu Verdadeiro" se manifestar para alertar o indivíduo quanto à intolerância, à falta de vontade de ajudar o próximo ou em desenvolver potenciais criativos que estão lutando para se expressar.

A morte, portanto, deve ser encarada como mais um estágio de crescimento e não deve ser compreendida como o fim dos vínculos definitivos entre os familiares e as pessoas que amamos. Deve ser vista como uma separação temporária deste mundo físico.

Relembrar fatos ocorridos em vidas passadas pode ajudar a reduzir tensões, controlar ou eliminar dor, culpa, ansiedades e vários tipos de medo; também facilita a desenvolver a concentração; liberta potenciais pessoais; e aciona um senso de responsabilidade. Também começa a entender os pais e outras pessoas do círculo íntimo; alivia pressões reprimidas e faz esquecer lesões antigas; melhora a visualização para tornar-se mais ação do que reação.



Como fazer a regressão? 


Peça ajuda a um amigo para fazer o relaxamento. De acordo com a pesquisadora Florence Wagner McClain, autora do livro Guia Prático de Regressão a Vidas Passadas , ela pode ser feita com a ajuda de uma pessoa para conduzir o relaxamento e, posteriormente, à regressão de memória. Coloque uma música suave e faça as perguntas pausadamente.

Devemos entender que a regressão será feita no primeiro estágio, ou seja, a pessoa estará consciente o tempo inteiro, dotada de todas as suas faculdades mentais, psicológicas etc. não existindo a menor possibilidade de "não retornar", como diz a crença popular. Ela deve ficar deitada, tranquila enquanto escuta o relaxamento nesta sequência:

Primeira etapa do relaxamento:
Feche os olhos. Fixe sua atenção nas pálpebras. Deixe suas pálpebras relaxarem.
Fixe a atenção no couro cabeludo (pausa). Perceba se há algum músculo tenso. Relaxe o couro cabeludo. Solte cada músculo para que seu couro cabeludo fique completamente relaxado. (pausa)
Fixe sua atenção no rosto (pausa). Perceba se há algum músculo tenso. Relaxe o músculo do rosto.
Fixe sua atenção nos maxilares (pausa). Relaxe o pescoço.
Fixe sua atenção nas mãos. Perceba todos os músculos e nervos da sua mão. Deixe que cada músculo, cada nervo, cada célula, fique completamente relaxado.
Fixe sua atenção no peito (pausa). Deixe que cada célula funcione de forma normal, rítmica. Deixe seu peito completamente relaxado (pausa).
Fixe sua atenção no abdômen (pausa). Deixe seu abdômen completamente relaxado (pausa).
Fixe sua atenção nas pernas (pausa). Perceba se há algum músculo tenso. Deixe que elas fiquem bem relaxadas.
Fixe sua atenção nos pés. Perceba se há algum músculo tenso (pausa). Relaxe os pés. Deixe que seus pés fiquem totalmente relaxados.

Obs.: quem está lendo o relaxamento deve esperar meio minuto para dar a sequência da regressão, sempre com uma voz tranquila. Depois, poderá perguntar: "sente-se bem? podemos prosseguir?"

Segunda etapa do relaxamento
Seus pés não fazem mais parte do seu corpo. (pausa)
Fique alheio às suas pernas. Faça de conta que elas não pertencem mais ao seu corpo. Avise-me quando estiver conseguido isto. (pausa para a resposta). Muito bem; seus pés, suas pernas e seu abdômen não pertencem mais ao seu corpo.
Fique alheio a seu peito (pausa). Faça de conta que ele não pertence mais a seu corpo. Levará somente um momento. Ótimo, seus pés, pernas, abdômen e peito não pertencem mais a seu corpo.
Agora se imagine parado em frente ao local onde mora atualmente. Avise-me quando estiver lá. (pausa para a resposta). Ótimo. Agora descreva a fachada. Diga-me o que você visualizaria se estivesse parado em frente ao local onde mora atualmente (pausa para uma pequena descrição). Em que estação do ano você está? É outono? Bom. É inverno? Levará somente um momento. Descreva as modificações que ocorrem no local e nas redondezas durante o inverno. (pausa para uma pequena resposta).

Obs.: quem lê as etapas do relaxamento deverá dizer sobre o próximo passo, ou seja, a terceira etapa da regressão. Quem está ouvindo, deve permanecer com os olhos fechados. Se desejar, a regressão pode ser interrompida a qualquer momento.

Terceira etapa da regressão
Imagine-se em frente à porta de sua casa (pausa) Agora, abrindo a porta. Imagine que a porta se abre para um longo túnel, no fim da qual existe uma luz. Vou contar de 20 a 1.
A cada número, imagine-se andando pelo túnel em direção à luz e voltando para o tempo até o período anterior a este. Quando eu chegar ao número 1, você sairá do túnel para a luz, e para a vida anterior a essa.
Vinte (pausa), 19 (pausa), 18, andando em direção à luz e voltando no tempo para a vida anterior a essa, 17 (pausa), 16 (pausa), 15, andando em direção da luz, e voltando no tempo, 14 (pausa), 13 (pausa), 12, quando eu chegar a 1 você estará na vida anterior a essa, 8 (pausa), 7 (pausa), 6, voltando no tempo, 5 (pausa), 4 (pausa), 3, quando chegar no 1, você sairá do túnel para a luz e para a vida anterior a essa, 2 (pausa), 1...
Você está no período anterior a esse.
Mentalmente, olhe através de seus olhos e ouça através de seus ouvidos. Olhe, mentalmente para seus pés. O que você está usando em seus pés? (pausa para a resposta; então continue com as perguntas):
Como está vestido?
Qual a sua idade?
Você é homem ou mulher?
Qual seu nome? (primeiro nome que lhe vem a sua mente)
Descreva o ambiente em que está.
Em que parte do mundo você se encontra?
Você sabe em que ano ou época está?
Como é sua mãe?
Como você se sente em relação a ela? Vocês têm um bom relacionamento?
Como é o seu pai?
Como você se sente em relação a ele?
Tem irmãos?
Você tem amigos íntimos?
Examine um dia de sua vida. Levará somente um momento. Como você passa seu tempo? (pausa e espere que a pessoa explique o que vê)
Agora, adiante-se até o período em que você tinha aproximadamente cinco anos a mais, do que você viu até agora. Você tem ____ anos de idade. Levará somente um momento. Você sentirá o tempo passando como a corrente de ar das páginas de um calendário quando folhadas rapidamente. Diga-me assim que estiver lá.
Mentalmente, olhe através de seus olhos e ouça através de seus ouvidos.Onde você se encontra e que o que está fazendo?
Você é casado (a)?
Tem filhos?
Acredita numa força maior?
Pertence a alguma religião?
Como você se sente em relação à vida espiritual?
Você é feliz?

Depois, quem está conduzindo a regressão, poderá fazer as mesmas perguntas, pedindo para que a pessoa examine os 10, 15, 20 anos seguintes (o que for mais adequado para a idade em que a pessoa está vivenciando naquele momento a regressão).
Conte-me qualquer acontecimento importante ou realização que você gostaria de compartilhar.
Há alguma coisa em especial que gostaria de fazer e não conseguiu?
Há alguma coisa que tenha feito do qual sinta orgulho especial?
(........)
Quando você estiver pronto para encerrar a sessão, diga: Vou contar de 1 a 5. Quando eu disser "cinco" você abrirá os olhos no aqui e agora, sentindo-se alerta e renovado. Traga todas as coisas que possam ser benéficas, deixando para trás as que lhe sejam prejudiciais.
1 - 2 - 3 , quando eu contar até cinco você estará em sua vida atual, como ___, sentindo-se renovado e alerta, 4 - 5, olhos abertos, sentindo-se renovado e alerta.
Muito bem... você está aqui no dia _____consciente das situações que vivenciou; deseja relatar algo mais?
Se desejar, pode abraçar a pessoa ou fazer uma oração para encerrar.


Fonte: https://vidaeestilo.terra.com.br/horoscopo/esoterico/e-possivel-descobrir-o-que-se-foi-em-vidas-passadas,ff0863337df6d310VgnCLD200000bbcceb0aRCRD.html


Eu tenho passado muitas coisas na minha vida recentemente que tem me levado a sentir curiosidade em saber mais sobre vidas passadas e entrar mais a fundo no mundo do espiritismo e budismo, pretenmdo em breve fazer a regressão e pretendo compartilhar com vocês a minha experiencia, e vocês, acreditam que já tenham vivido outras vidas?
Image and video hosting by TinyPic

Um comentário:

  1. Simplesmente estou apaixonada por esse poust... Sou extremamente curiosa a ponto de alem de vasculhar minhas vidas passadas Procurar por imagens também tipo aquelas pinturas d familia e sempre me interessei pouseste Assunto. .. Vinha a pouco do curço e tava d fones lendo na lancha entao comecei a fazer o teste tipo eu mesmas mentalmente me fazendo as perguntas e cheguei a algumas resposta pra mim pareceu bem real e analisando minha vida desde a infancia pareceu mais real ainda mais tambem pode ter sido simplesmente a emoçao do momento e eu ter criado coisas ... Imagens na minha cabeça ate pq eu eatava em um lugar barulhento e cheio d gnt rsrs mais juro q pareceu real q ate me deu calafrios hahah enfim obg pelo pouste amei mesmo agora fiquei sem sono e mega curiosa hahaha

    ResponderExcluir

Em buscas de respostas? Eu também. Mas para que possamos descobrir elas juntos deixe seu comentario e até mesmo a sugestão de um tema a ser discutido aqui em nosso blog.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Bem vindos!

akasha

akasha

::Akasha Lincourt::

Akasha Lincourt... Taurina, Bipolar, 27 anos, sem enquadramento social, mas com ótimas lentes 50mm distorcidas ao invés de olhos. Apaixonada pela vida, pela arte, pela moda alternativa e pela estrada...

"VIVA RÁPIDO. MORRA JOVEM. SEJA SELVAGEM. E SE DIVIRTA!

Eu acredito no país que a América costumava ser. Acredito na pessoa que quero me tornar, acredito na liberdade da Estrada aberta. E meu lema é o mesmo de sempre. "Acredito na gentileza de estranhos. E quando estou em guerra comigo mesma – dirijo. Apenas dirijo."

Quem é você? Você está em contato com todas as suas fantasias mais sombrias? Você criou uma vida para si mesma onde é livre para experimentá-la?

Eu criei. Sou maluca pra caramba. Mas sou livre"

Email: Akasha_lincourt@hotmail.com

mood

mood

Arquivo

Arquivo

Bloglovin

Follow on Bloglovin
Todos os direitos reservados as autoras - Proibido a reprodução de texto e imagem. Tecnologia do Blogger.

Seguidores

Arquivo

instagram

instagram

Instagram

Hey! Did you know that our users have generated 237 widgets within the

Linke

Linke

Link-me em seu blog / site:


contato

contato

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

lojas

lojas

Parceiros

Parceiros
Parceiros

conheça o inflamous

Face

Face

Minha página