4 de maio de 2015

Eu costumava ler textos da internet sobre o que você aprende depois dos 25 anos, e me perguntar se algum dia aquilo realmente aconteceria comigo...  e esse ano foi tempo de descobrir se a teoria se aplicava a prática, e descobri que a coisa é mais séria do que a gente pensa.
Completei enfim meus 26 anos... a idade que você já sente os ventos dos 30 dando seus primeiros sinais. Estranho como este ano eu comecei em fim a percerber que as coisas estavam realmente diferentes para mim, e eu estava finalmente começando a ter ares de adulta.
Já se sentiu como uma eterna adolescente perdida? Mas depois de muitas tentativas frustradas de fazerem as coisas darem certo eu finalmente comecei a ver o aprendizado dos meus erros.
As vesperas dos 26 anos eu descobri, finalmente, que tudo o que eu julgava importante muitas vezes era superficial e desnecessário, e podemos viver tranquilamente sem metade das coisas que possuimos. Descobri, que não precisamos mais provar nada para ninguém, e que estar só é diferente de se sentir só, e momentos sozinha para pensar e ter foco é absurdamente essencial para nosso espirito.
Aos 26 anos minha casa tornou-se meu intimo, com as poucas coisas que preciso para me sentir bem, e que não é necessário a melhor localização, a melhor mobilia, uma casa cheia de pessoas, reuniões e festas para impressionar alguém, tudo o que você precisa é de um lugar simples para chamar de lar, e não um calabolso onde se é preso pelas contas a pagar.


As vesperas dos meus 26 anos eu me vi cansada de festas e baladas, trocando tudo isso por idas esporadicas com os amigos a barzinhos, e em maior parte do tempo, preferi ficar em casa com meus livros, meus filmes.
Aos 26 anos me vi me dando melhor com meu dinheiro, pensando duas vezes se eu precisava mesmo de tantas roupas ou sapatos, ou quinquilharias eletronicas que compramos outras para não mandar concertar. Eu não preciso trocar meu telefone sempre por um da moda, eu não preciso de roupas em excesso para impressionar, eu só preciso ser eu.
Eu descobri que a familia é algo que realmente faz parte da gente, e que o valor que daremos a isso é melhor, quando somos adolescentes estamos sempre fugindo de casa querendo estar no mundo, mas ao envelhecer choraremos de saudades quando iremos passar muito tempo fora de casa.
As vesperas de meus 26 anos eu aprendi que tudo na vida tem um motivo, e as coisas acontecem por que tem que acontecer, não adianta pensar que poderiamos ter feito diferente, ou que não deveriamos ter feito, tudo é experiencia e cada escolha define seu amanhã. Aprendemos que algumas pessoas tem data de validade em nossa vida, e insistir que elas fiquem podem nos prender no passado para sempre.
Aos 26 anos eu aprendi, que o amor é uma coisa mutua, e que se alguem ama mais que o outro, isso pode não dar certo. Aprendi que não se deve cobrar amor e companheirismo, e se isso não é dado de graça, é melhor deixar para trás e continuar sem magoa. E acima de tudo, sobre o amor, eu aprendi que ele não pode andar junto com a ansiedade... a ansia de ter, de estar, de amar nos prejudica, nos desespera e nos torna viciados em companhia, e se deve estar com alguém por que se quer estar, e não por que precisa estar.
Aprendi que até quem nós vemos como inimigos pode ter muitos a nos ensinar, e temos que saber admira-los e respeita-los, e que o perdão é o caminho certo para viver sme mágoa. Você não é obrigado e estar com quem tem faz mal, porém a melhor coisa é prosseguir sme brigas, deixando quem lhe fez mal no passado, para uma vida sem magoas.
Aos 26 anos eu aprendi, que viagens é a cartilha da vida, liberta a alma e engrandece a mente. Não há nada que você não possa aprender na estrada, e você verá que tudo o que você precisa cabe numa mochila e que você é completamente capaz de carrega-la, não importa o peso.
Eu desmistifiquei o mito de que para viajar é necessário ter muito dinheiro, ou que eu preciso pagar agencias carissimas para viajar bem e em segurança, e descobri que é muito fácil viajar sozinho, tendo as melhores experiencias, sem precisar de luxo, e se divertindo muito
Eu aprendi que o diploma ou uma carreira de sucesso não vale nada se você não é feliz, e que o dinheiro perde o valor se não tem tempo para gasta-lo em algo que traga experiência para ti.
Eu perdi a vergonha de aceitar qualquer tipo de trabalho, que me faça sorrir e ter tempo para viajar.. não importa qual seja, não tenho vergonha de ser garçocene, ou faxineira, ou vender arte na rua... não me importo com o preconceito das pessoas, que vivem escondidos atrás de status.
E quando estamos mais adultos aprendemos que temos que ser quem somos, e lutar por isso, não importa quem seja contra, ou o que digam de você, o importante é alcançar seus sonhos, ser você mesmo e se aceitar, por que a pior sensação não é a de pensar naquilo que fizemos, mas a do que não fizemos, e você estará tão ciente de quem você é que realmente não importará o que falarem sobre você.




E o mais importante de tudo: EU DESOBRI QUE O MAIS IMPORTANTE DA VIDA É SER FELIZ E VIVER... AMBOS DE UMA FORMA SIMPLES.
Então se desconfigure desse padrão sistematico, se jogue no mundo, faça suas vontades, tenha mais amor no coração, sonhe mais, viva mais , sonhe mais.. e realize tudo o que quer!

Image and video hosting by TinyPic

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Bem vindos!

akasha

akasha

::Akasha Lincourt::

Akasha Lincourt... Taurina, Bipolar, 27 anos, sem enquadramento social, mas com ótimas lentes 50mm distorcidas ao invés de olhos. Apaixonada pela vida, pela arte, pela moda alternativa e pela estrada...

"VIVA RÁPIDO. MORRA JOVEM. SEJA SELVAGEM. E SE DIVIRTA!

Eu acredito no país que a América costumava ser. Acredito na pessoa que quero me tornar, acredito na liberdade da Estrada aberta. E meu lema é o mesmo de sempre. "Acredito na gentileza de estranhos. E quando estou em guerra comigo mesma – dirijo. Apenas dirijo."

Quem é você? Você está em contato com todas as suas fantasias mais sombrias? Você criou uma vida para si mesma onde é livre para experimentá-la?

Eu criei. Sou maluca pra caramba. Mas sou livre"

Email: Akasha_lincourt@hotmail.com

mood

mood

Arquivo

Arquivo

Arquivo

Bloglovin

Follow on Bloglovin
Todos os direitos reservados as autoras - Proibido a reprodução de texto e imagem. Tecnologia do Blogger.

Seguidores

instagram

instagram

Instagram

Hey! Did you know that our users have generated 237 widgets within the

Linke

Linke

Link-me em seu blog / site:


contato

contato

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

lojas

lojas

Parceiros

Parceiros
Parceiros

conheça o inflamous

Face

Face

Minha página