21 de novembro de 2016


(Um comboio de Harley Davidson cruzando com a minha moto na marginal tietê)

Olá pessoal, tudo bom? Eu sei que mais uma vez eu entrei em hiatus com o blog e dei aquela clássica  sumida... é que aconteceram tantas coisas que acabaram me desanimando  um pouco em postar, cheguei a me assustar hoje, ao entrar aqui e ver que o fluxo de visitantes tem aumentado nos ultimos dias, o que me deu mais ânimo em postar. Como eu não uso o blog de forma comercial, eu preciso ter algo realmente legal para compartilhar com vocês, então nem sempre eu me sinto criativa para pensar em algo, mas nesta ultima semana estou sendo tomada por uma onda de inspiração e empolgação e espero que ela dure tanto quanto meu periodo de pausa.
Finalmente a época de frio extremo e de chuvas está passando, tudo bem que estamos longe de um clima bom de primavera, eu consideraria até como uma extensão do inverno, mas está bem melhor do que a ultima estação propriamente dita... eu como pessoa do verão já começo a ter mais animo para sair de casa e viver como as pessoas normais fazem, e já começo a planejar viagens e passeios que espero compartilhar com vocês aqui no blog. Neste fim de semana recebi um convite de um amigo para ir num lugar que eu sempre quis ir... o templo zulai, em Cotia.

(Escultura do Buda te recebendo na entrada do templo)

As Origens do Templo Zu Lai

O Templo Zu Lai, situado em Cotia na região metropolitana de São Paulo, é o primeiro templo do Monastério Fo Guang Shan na América Latina.

Em abril de 1992, o Venerável Mestre Hsing Yün fora convidado para oficiar a consagração do Templo Budista Kuan Yin, em São Paulo ocasião na qual estavam presentes à cerimônia, o senhor e a senhora Chang, generosos discípulos, que se encheram de alegria ao ouvir as palavras de Darma do Venerável Mestre. Repetindo o gesto do nobre Anathapindika, o casal Chang doou o sítio da família que deu lugar ao templo denominado Zu Lai pelo Venerável Mestre. Na mesma oportunidade o Venerável então instituiu, também, a sede da Associação Internacional Luz de Buda (Blia) cujo primeiro presidente foi o upasaka senhor Shih Tze Lin. Dentre a comitiva de monges que acompanhavam o Venerável Mestre, a Reverenda Jue Cheng (Mestra Sinceridade), ficou incumbida de aqui permanecer para propagar o Darma.

Ao ser criado, o Templo Zu Lai mantém a tradição de realizar regularmente as práticas e cerimônias das Escolas de pensamento budista Chan e Terra Pura, oficiando cerimônias de “Oito Preceitos” e retiros de meditação. Orientada pelos preceitos do Budismo Humanista, a ações que o Templo Zu Lai e a Blia empreendem, desde a época de sua criação, baseiam-se em quatro pilares estabelecidos pelo Venerável Mestre: o cultural, o educacional, o das ações sociais e o das práticas religiosas. Ambas as entidades buscam, também, realizar a integração das diversas tradições budistas no Brasil, participando de atividades conjuntas com outros templos, como as ocorridas nas comemorações do Vesak. Até hoje, o Templo Zu Lai tem sido considerado o maior templo budista da América do Sul.

Ao longo de seus primeiros onze anos de existência, o Zu Lai veio realizando um número cada vez maior de atividades com afluência de discípulos e simpatizantes cada vez maior, expandindo-se de tal maneira que já não comportava tantas pessoas que a ele afloravam.

Os discípulos Shih Tze Lin, Liu Shie Lin e Hong Tsu Ho fizerem então o voto de construir um novo templo, contando com o esforço e a generosidade dos membros da Blia do Brasil, Paraguai, Argentina, Chile, Taiwan, China Continental, Estados Unidos e de tantas outras pessoas de vários outros cantos do mundo, vindo para tal a adquirir outros lotes de terrenos vizinhos.

Em maio de 2000, foi lançada a pedra fundamental da construção da nova edificação que viria a ter 10 mil m2 de área construída, em uma área total de 150.000 m2. Seu projeto foi inspirado no estilo arquitetônico oriental dos palácios da Dinastia Tang, integrando a um só tempo aspectos da arquitetura ocidental moderna. Os trabalhos foram desenvolvidos em conjunto por arquitetos chineses, taiwaneses, japoneses e brasileiros e as obras foram concluídas em outubro de 2003, fazendo surgir, assim, a “Terra Pura” do Budismo Humanista na América do Sul.

Dentro dos mesmos princípios do Monastério Fo Guang Shan, o Templo Zu Lai procura propagar o Darma, desenvolvendo talentos, trazendo benefícios à sociedade e purificando corações e mentes por meio da atuação cultural e educacional, das ações sociais e das práticas religiosas.

Seguindo ainda o caminho apontado pelo Venerável Mestre Hsing Yün, o templo busca desenvolver estudos diversos que se aplicam à vida do dia a dia além de “nacionalizar” os ensinamentos do Buda respeitando os aspectos da cultura local que acolhe a sua doutrina tornando possível a realização de projetos como: cursos de filosofia budista, grupos de estudo e círculos de leitura sobre o Darma, criação do “Projeto Filhos de Buda” por meio da Fundação de mesmo nome e através de seu Centro de Tradução que tem trabalhado na divulgação dos ensinamentos budistas em língua portuguesa.

Desde então, o Templo Zu Lai vem cumprindo sua missão em divulgar esses seus quatro pilares para solidificar e nacionalizar os princípios de um Budismo Humanista no Brasil.

E assim no dia 5 de outubro de 2003 o Venerável Mestre Hsing Yün retornou ao Brasil para então consagrar a nova edificação do Templo Zu Lai que em 27 de abril de 2012 comemorou seus vinte anos em solo brasileiro.

Eu e meu amigo Leandro no pátio do templo

 A melhor época do ano para visitar o templo é provavelmente a primavera, o local é muito bem conservado e possui uma grande variedades de plantas, tornando-se extremamente florido nesta época, o clima estava agradável para caminhar, e aos sábados a quantidade de pessoas visitando o lugar foi menor do que eu esperava pela manhã, dando para caminhar tranquilamente pelo templo para conhecer todos os seus cantos.
O clima é de completa paz e respeito, arquitetura e limpeza impecável, possui diversos jardins com esculturas e fontes. O templo possui um restaurante (vegetariano, claro) que fica aberto até as 14:30h e é muito bem recomendado. Para quem chegar depois do horário, ainda existe uma lanchonete com pão chinês, quibe vegetariano, esfiha de escarola e yakissoba. É servido chá quente no modo "sirva você mesmo) no segundo pavilhão, e o primeiro pavilhão conta também com uma loja para adquirir souvenirs chineses, japoneses e budistas, assim como adquirir livros e cds sobre a prática budista e o templo.



Os grandes espaços vazios chamam ao silêncio e à reflexão. O lugar perfeito para fazer um balanço da vida. refletir e meditar... Para ajudar os bons pensamentos a fluir, você pode atirar uma moeda na fonte dos desejos, escrever o seu pedido em um papel e pendurar em uma árvore, ou ainda acender um incenso para seus antepassados ou oferecer como oferenda ao buda no templo, onde fará suas preces. Tudo isso  auxiliado por praticantes que trabalham no templo. e estão sempre dispostos a ajudar.
O templo também conta com um pequeno museu da cultura, onde há intrutorespreparadospara tirarem todas suas duvidas sobre as peças lá expostas, assim como duvidas sobre a pratica budista.


O lindo jardim japonês possui tartauras e carpas nadando tranquilamente

Todo o lugar transpira a paz, e toda sua extensão é extremamente acolhedora, há uma programação muito vasta no templo para quem quer iniciar na meditação, kung fu e outras artes, dentro também há um local afastado e restrito para retiro, e possui um charmoso jardim japonês repleto de pequenos macaquinhos bem sociáveis

Meu amigo sagui, você pode alimentalos com as frutas da propria arvore que ficam

Ter ido lá me fez realmente bem, fazia muito tempo que eu havia ouvido falar do templo, e agora que fui me pergunto o por que de eu não ter ido antes, sendo que é um desses lugares tão pertinho de São Paulo que realmente vale a pena visitar.
Para você que ficou apaixonado, vale a pena! Porém lembre-se que é um TEMPLO, exige respeito e TEM REGRAS

Existem algumas regras de boa conduta que os visitantes devem observar:

Etiqueta budista:

Não é permitido trazer quaisquer bebidas e alimentos para o interior do templo, logo, também não são autorizados piqueniques;

Não trazer animais de estimação;

Não vir com roupas inadequadas (decotes, regatas e shorts);

Não fotografar nem filmar atividades e interior das salas sem autorização prévia;

Não fumar absolutamente em nenhum local do templo;

Não pegar nada que não tenha sido oferecido;

Não assumir posturas inadequadas nas dependências (deitar pelo pátio, debruçar-se nas muretas, estátuas e etc.);

Não manifestar contatos íntimos (beijos, abraços, carícias e etc.);

Não tocar nos instrumentos de darma;

Não fazer barulho e evite aglomeração na porta da sala principal (evite perturbar a concentração e o momento de oração dos praticantes).

  10 REGRAS DE OURO PARA SE ENTRAR NA SALA DE CERIMÔNIAS ( SALA PRINCIPAL) 

Não usar roupas inadequadas (decote, regatas e shorts.);
Não fazer barulhos (mantenha silêncio e evite conversas);
Não fume;
Não se deitar ou assumir postura desleixada;
Não usar celular (desligue-o ou ative a função vibrar);
Não tocar nos instrumentos de darma;
Não fotografar nem filmar as práticas e cerimônias religiosas sem autorização prévia;
Não comer e nem beber dentro do salão;
Não ostentar intimidades (beijos, abraços e carícias);
Não ficar entrando e saindo. Fique, pelo menos por 45 minutos (mantenha atitude discreta e respeitosa não perturbando a concentração e o momento de oração dos praticantes).

Estando atendo a estas regrinhas, aproveite a estadia

Por todo o templo você encontra belissimas e imponentes estátuas

Templo Zu Lai

Estrada Municipal Fernando Nobre, 1461
Jardim Pioneira, Cotia – SP, 06705-490
(11) 4612-2895
www.templozulai.org.br
Horário
– De terça feira à sexta feira, das 12h00 às 17h00
– Sábados, domingos e feriados, das 09h30 às 17h00
(O Templo Zu Lai permanece fechado às 2ª.s feiras, mesmo sendo feriado)

Todos os domingos, existe um ônibus gratuito:
– De onde sai na ida: De frente da estação do Metrô Liberdade, no acesso “Av. Liberdade” (na calçada oposta à praça) no centro de São Paulo.
Horário: 8h30
– De onde sai na volta: Templo Zu Lai (Cotia)
Horário: 16h

Fomos de moto, estacionamos dentro do templo e não foi nos cobrado estacionamento.
Gostou da dica? tem lugares em são paulo para me recomendar? comente!
                                                                                   Image and video hosting by TinyPic


Um comentário:

  1. nossa que lugar lindo, belíssimas fotos s2
    quando eu for conhecer São Paulo, com certeza passarei lá.

    ResponderExcluir

Em buscas de respostas? Eu também. Mas para que possamos descobrir elas juntos deixe seu comentario e até mesmo a sugestão de um tema a ser discutido aqui em nosso blog.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Bem vindos!

akasha

akasha

::Akasha Lincourt::

Akasha Lincourt... Taurina, Bipolar, 27 anos, sem enquadramento social, mas com ótimas lentes 50mm distorcidas ao invés de olhos. Apaixonada pela vida, pela arte, pela moda alternativa e pela estrada...

"VIVA RÁPIDO. MORRA JOVEM. SEJA SELVAGEM. E SE DIVIRTA!

Eu acredito no país que a América costumava ser. Acredito na pessoa que quero me tornar, acredito na liberdade da Estrada aberta. E meu lema é o mesmo de sempre. "Acredito na gentileza de estranhos. E quando estou em guerra comigo mesma – dirijo. Apenas dirijo."

Quem é você? Você está em contato com todas as suas fantasias mais sombrias? Você criou uma vida para si mesma onde é livre para experimentá-la?

Eu criei. Sou maluca pra caramba. Mas sou livre"

Email: Akasha_lincourt@hotmail.com

mood

mood

Arquivo

Arquivo

Bloglovin

Follow on Bloglovin
Todos os direitos reservados as autoras - Proibido a reprodução de texto e imagem. Tecnologia do Blogger.

Seguidores

Arquivo

instagram

instagram

Instagram

Hey! Did you know that our users have generated 237 widgets within the

Linke

Linke

Link-me em seu blog / site:


contato

contato

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

lojas

lojas

Parceiros

Parceiros
Parceiros

conheça o inflamous

Face

Face

Minha página